03 de Agosto de 2007



Olho para tudo e tudo me faz chorar
Não, deixas-me mudo já não posso mais falar
Sei que estás confusa mas isso é normal
Para mim és uma musa, e muito especial
Já não te vejo há um dia para mim pareceu me um mês
Já te disse o que sentia agora é a tua vez
Deixa me voar quero sair daqui
Quero estar no teu lugar queria te ter só a ti

Em ti estou asseguro daqui não vou sair
Nem que atravesse o muro com o risco de cair
Não me largues mais eu não te quero perder
Tens de voltar ao cais que eu sem ti não sei viver
Já senti a plenitude não importa o que tinha feito
Eras a minha virtude nunca foste o meu defeito
Digo-te o que sinto não pareces entender
É verdade, eu não minto tenho mesmo que te ver

Refrão:
Leva-me contigo na palma da tua mão
Que eu já não consigo pisar mais este chão
Leva-me para longe que eu não consigo andar
Quero estar contigo, o teu mundo é o meu lugar
Acabaram se as palavras que saiam de ti
Estivesses onde estavas eu sentia-te em mim
Abraça-me
uma vez, e outra a seguir
Abraços já são três já te estou a sentir

Não te quero enganar sentia-me muito bem
Quero-te olhar eu sem ti não sou ninguém
Podes prender-me em ti, podes voltar a gostar
Diz-me o que é que fiz, que eu tento mudar
Não suporto ver-te assim sentes te culpada
Põe a culpa em mim acho que foste pressionada
Tenta perceber, não te sintas mal
Tenho que te dizer que tudo em ti é especial

Uma página rasgada e arrancada pelo vento
Não penso em mais nada não me sais do pensamento
Estás em todo o lado nas paredes e no mar
Não quero ficar parado, eu não te quero largar
Passa a noite e o dia sem que os sinta a passar
Tudo o que eu queria era o tempo a parar
Ficava sozinho, talvez a pensar de mais
Mas talvez era o caminho para atingir os meus ideais

publicado por ♪♫ Veriña Fernández às 20:44 link do post
03 de Agosto de 2007

sollua-pequena.JPG

Quando o Sol e a Lua se encontraram pela primeira vez, se apaixonaram perdidamente e a partir daí começaram a viver um grande amor. Acontece que o mundo ainda não existia e no dia que Deus resolveu criá-lo, deu-lhes então o toque final... o brilho! Ficou decidido também que o Sol iluminaria o dia e que a Lua iluminaria a noite, sendo assim, seriam obrigados a viverem separados.


Abateu-se sobre eles uma grande tristeza quando tomaram conhecimento de que nunca mais se encontrariam. A Lua foi ficando cada vez mais amargurada, mesmo com o brilho que Deus havia lhe dado, ela foi-se tornando solitária. O Sol por sua vez havia ganho um título de nobreza "ASTRO REI", mas isso também não o fez feliz.


Deus então chamou-os e explicou-lhes:


"Vocês não devem ficar tristes, ambos agora já possuem um brilho próprio. Você Lua, iluminará as noites frias e quentes, encantará os enamorados e será diversas vezes motivo de poesias. Quanto a você Sol, sustentará esse título porque será o mais importante dos astros, iluminará a terra durante o dia, fornecerá calor para o ser humano e a sua simples presença fará as pessoas mais felizes".


A Lua entristeceu-se muito com seu terrível destino e chorou dias a fio... já o Sol ao vê-la sofrer tanto, decidiu que não poderia deixar-se abater pois teria que dar-lhe forças e ajudá-la a aceitar o que havia sido decidido por  Deus.


No entanto sua preocupação era tão grande que resolveu fazer um pedido a Ele:

 

- "Senhor, ajude a Lua por favor, ela é mais frágil do que eu, não suportará a solidão...".


E Deus em sua imensa bondade criou então as estrelas para fazerem companhia a ela.


A Lua sempre que está muito triste recorre as estrelas que fazem de tudo para consolá-la, mas quase sempre não conseguem.


Hoje eles vivem assim... separados, o Sol finge que é feliz, a Lua não consegue esconder que é triste. O Sol ainda esquenta de paixão pela Lua e ela ainda vive na escuridão da saudade.


Dizem que a ordem de Deus era que a Lua deveria ser sempre cheia e luminosa, mas ela não consegue isso... porque ela é mulher, e uma mulher tem fases. Quando feliz consegue ser cheia, mas quando infeliz é minguante e quando minguante nem sequer é possível ver o seu brilho.


Lua e Sol seguem seu destino, ele solitário mas forte, ela acompanhada das estrelas, mas fraca. Humanos tentam a todo instante conquistá-la, como se isso fosse possível. Vez por outra alguns deles vão até ela e voltam sempre sozinhos, nenhum deles jamais conseguiu trazê-la até a terra, nenhum deles realmente conseguiu conquistá-la, por mais que achem que sim.


Acontece que Deus decidiu que nenhum amor nesse mundo seria de todo impossível, nem mesmo o da Lua e do Sol... e foi aí então que ele criou o eclipse!


Hoje o Sol e  a Lua vivem da espera desse instante, desses raros momentos que lhes foram concedidos e que custam tanto a acontecer.


Quando você olhar para o céu a partir de agora e ver que o Sol encobriu a Lua é porque ele deitou-se sobre ela e começaram a se amar e é ao acto desse amor que se deu o nome de eclipse. Importante lembrar que o brilho do êxtase deles é tão grande que aconselha-se não olhar para o céu nesse momento, seus olhos podem cegar de ver tanto amor


*      *      *


Bem, mas na terra também existe sol e lua... e portanto existe eclipse... mas essa era a única parte da história que você já sabia, não era ?


(Silvana Duboc)

publicado por ♪♫ Veriña Fernández às 20:41 link do post
03 de Agosto de 2007

Um dia dei asas a minha imaginação e voei, voei;
E voando, voando, cheguei a Deus;
E chegando a Deus pedi a ele para que me
Transforma-se em Sol.

Deus me transformou num Sol, e como Sol
Eu te acompanhava por todo o dia;
Sentias minha presença em ti,
Não da forma que eu queria, mas sentia.

ENTÃO O DIA CAIA, A NOITE SUBIA,
E EU LHE PERDIA.

Então voltei a Deus e pedi a ele para que me
Transformasse na Lua.
Deus me fez a Lua.

AH... Eu penetrava pela tua janela
E protegia o teu sono;
Eu te tocava nos teus momentos mais íntimos,
Não da forma que eu queria, mas tocava.

ENTÃO A NOITE CAIA, O DIA SUBIA
E NOVAMENTE EU LHE PERDIA.

Pois bem: mais uma vez voltei a Deus
E pedi a ele que me fizesse teu sangue;
Deus me fez teu sangue.

AH!! Era maravilhoso!
Eu percorria por todo o teu corpo;
Eu tocava por inteiro, todo o teu interior.
Não da forma que eu queria, mas tocava.

Até que um dia me fez correr tanto em tuas veias,
Que eu não entendi.

Foi quando te apaixononas-te;
Eu fiz teu coração pulsar mais forte,
Eu fiz a tua cabeça sonhar por um amor,
Por um amor que não era o meu, mas fiz.

Finalmente voltei a Deus e pedi a ele
Para pedir que me transformasse em alguém
Gostar, apaixonar-se e amar.

Deus me fez humano, para
Que tu pudesses amar;
Porque todo esse tempo eu
Sempre quis ser tudo o que tu sonhavas.

Deus disse que eu seria uma pessoa feliz e alegre,
Que eu saberia rir e brincar com as palavras...
Que eu saberia sonhar e amar...

E hoje rio e brinco com as palavras
Que eu encontro aqui
sem saber se um dia você iria ler...

E hoje eu sonho em ter o teu amor...
Sonho em ter-te só para mim...

(Fênix Faustine [adaptado] in pensador.info)

 

publicado por ♪♫ Veriña Fernández às 20:40 link do post
Agosto 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Oi pessoal,como estao?
Agora será crime hrfionfo sr um homem matar uma mu...
coisa de abom pha vcx ainda teclau aki
seu panda.kakakaka...jogox.
vai se catar
jogos tu cara es um kid k anda a interferir nos pa...
ola fofa como vai?pensei k nunca mais poderia tecl...
estupidos voce com esse teu puto...gwen nao podes ...
estupidos voce com esse teu puto...gwen nao podes ...
blogs SAPO